ÓRGÃOS COLEGIADOS

Decisão assegura que, após o fim do semestre, haverá 15 dias para complemento de tempo em disciplinas com necessidade de se estender 

Em reunião híbrida, conselho deliberou pelo acréscimo de 15 dias consecutivos e facultativos ao fim do período de aulas, para garantir cumprimento das atividades acadêmicas no semestre letivo em caso de necessidade. Foto: Beto Monteiro/Ascom UnB

 

Por 40 votos a 1, com três abstenções, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da Universidade de Brasília aprovou minuta que acrescenta 15 dias consecutivos e facultativos ao período de aulas do primeiro semestre letivo de 2022. O prazo deve ser usado para reposição de atividades acadêmicas que não tenham outra alternativa ao longo dos dias letivos.

 

A medida não é obrigatória e serve apenas para aquelas disciplinas que precisam de dias a mais para serem concluídas. A proposta é que seja usado o mínimo de tempo possível dentro dos 15 dias, prazo que seria considerado limite para as eventuais reposições.

 

O acréscimo não representa extensão do calendário acadêmico. É uma abertura legal para assegurar o cumprimento de atividades que, se porventura não fossem realizadas, poderiam representar o cancelamento de cerca de 200 disciplinas. Caso o professor opte por avançar além do semestre, não precisa seguir os mesmos horários e dias em que a matéria é ministrada.

 

“Em um semestre mais curto, com dificuldade de comportar todo o conteúdo e de acomodar reposições, por conta de um período marcado inicialmente pelas adequações aos casos de covid e também por eventos como a SBPCe a Semana Universitária, algumas atividades poderiam não ser concluídas”, destacou o decano de Ensino de Graduação, Diêgo Madureira. “A expectativa, entretanto, é de que uma quantidade pequena de disciplinas precise fazer a reposição nesse período. Muitas disciplinas já estão fazendo reposição aos fins de semana ou com atividades específicas.”

 

>> Confira a programação da SBPC por temas

 

“É uma possibilidade, não é uma obrigação”, reforçou o vice-reitor e presidente do Cepe, Enrique Huelva. “É uma janela legal para quem precisar, para que possa completar o programa do semestre. Quem não precisar, conclui como o planejado.”

 

O conselheiro do Diretório Central dos Estudantes (DCE) André Doz avaliou a medida como importante. “Muitas turmas não conseguiriam terminar o semestre e precisariam desses dias. Além disso, a UnB poderia ficar em situação irregular em relação ao cumprimento dos cem dias por semestre e poderia sofrer algum tipo de penalização, inclusive orçamentária”, disse. Ele reforçou a preocupação dos estudantes com o período de intervalo entre os semestres. “Vamos tentar trazer para o Cepe a possibilidade de prorrogar as férias.”

 

Nesta sexta-feira (22), o Decanato de Ensino de Graduação (DEG) irá enviar uma circular para as unidades acadêmicas com as regras para a extensão das aulas.

 

PÓS-GRADUAÇÃO – Na reunião do Cepe, houve ainda a aprovação de mudança da composição da Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação (CPP), que previa um representante por unidade acadêmica. A partir de agora, unidades acadêmicas ou centros com até cinco programas de pós-graduação seguem indicando um representante, mas aqueles com seis ou mais programas poderão indicar dois membros. No caso da indicação de dois representantes, deverão ser indicados integrantes de mais de uma modalidade de curso (stricto sensu, profissional e acadêmico, e em rede), quando houver.

 

A transmissão da 643ª Reunião do Cepe está hospedada no canal da UnBTV no YouTube:

 

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: nome do repórter/Secom UnB ou Secom UnB. Crédito para fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.