ARTE

Casa da Cultura da América Latina vai abrigar quatro exposições individuais, três delas selecionadas na última convocatória. Mostra segue até janeiro

 

CAL abre seus espaços para novas exposições a partir desta quinta-feira (2). Foto: Beto Monteiro/Secom UnB

 

Referência em arte contemporânea no Distrito Federal, a Casa da Cultura da América Latina (CAL/DEX) da UnB, recebe as primeiras exposições de artistas selecionados pela convocatória lançada no início do ano. As mostras vão ocupar diferentes espaços da Casa, localizada no Setor Comercial Sul. A abertura oficial acontece nesta quarta-feira (1º), às 19h. A visitação aberta ao público vai de 2 de novembro a 12 de janeiro de 2018.

Na galeria acervo, a exposição Costurando sombras, com curadoria da professora da Escola Nacional de Belas Artes da UFRJ Patrícia Corrêa e coordenação gráfica da diretora artística do Centro Cultural Elefante de Brasília, Cinara Barbosa, traz obras da professora do Departamento de Artes Visuais (VIS) da UnB Iracema Barbosa. Composta por dois vídeos e por desenhos em dimensões variadas feitos sobre papel em técnicas mista, acrílico, nanquim e grafite, em sua maioria, em preto e branco, Costurando sombras é resultado da produção desenvolvida há mais de dez anos no atelier de Iracema.

De acordo com ela, sua poética reflete a inquietude das discussões modernas. "Alguns trabalhos são mais pictóricos que outros. Meu processo de criação se dá na experiência própria dos materiais: como os papéis que, ao serem trabalhados e costurados com fios, se tornam linhas no desenho abstrato, e se confundem com tecidos", diz. 

PeçaCírculo de areia, da mostra Áspero, que estará na galeria de bolso da CAL. Foto: Divulgação

 

Na galeria de bolso, o artista brasiliense Silvino Mendonça apresenta Áspero. Composta de fotografias, em formatos e suportes variados, a mostra nasceu a partir de uma leitura do artista da obra Cidades Invisíveis, de Italo Calvino. Um dos trechos do livro, que serviu de guia para as imagens que serão exibidas na CAL, levou o artista a refletir. "Algumas cidades podem não ter fim nem começo, não possuir limites. Atravessadas por um olhar contínuo, tornam-se coisa única", analisa.

Nos espaços alternativos, a exibição fica por conta do bacharel em Artes Plásticas pela UnB Felipi Santos, com Preamar, cuja curadoria é da docente do VIS Thérèse Hofmann. A mostra é a segunda de uma série de seis exposições individuais, que têm como ponto de partida a natureza da matéria líquida e a imersão do artista nela. "A montagem surgiu a partir da arquitetura do ambiente, algo importante no desenvolvimento desse processo artístico, porque é ali que a relação artista-obra/espaço-tempo se torna mais intensa", detalha Felipi.

A galeria da CAL abriga o Projeto Tarsila/Mesa Branca, do paulista Gustavo Von Ha, com curadoria da professora de Teoria, Crítica e História da Arte na UnB Ana Avelar. A docente destaca que o trabalho, inédito, discute uma Tarsila do Amaral mítica, que, mesmo quatro décadas após sua morte, possui um elemento aurático em torno de si. Este é o único trabalho que não foi selecionado por meio da convocatória de exposições lançada no início do ano.

Serviço
ExposiçõesCosturando sombras,Áspero,PreamareProjeto Tarsila/Mesa Branca
Abertura: dia 1º de novembro (quarta-feira), às 19h
Local: SCS Quadra 4, Ed. Anápolis
Telefones: 3107 7963/7966
Visitação: 2 de novembro de 2017 a 12 janeiro de 2018
Todos os dias, das 11h às 20h
Entrada franca
Classificação indicativa: livre

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: nome do repórter/Secom UnB ou Secom UnB. Crédito para fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.