INFRAESTRUTURA

Inauguração, na quinta-feira (31), terá atividades dedicadas à divulgação de iniciativas científicas da UnB junto a multinacionais do segmento

OAutomotive Research Center (ARC) está instalado na Unidade de Ensino e Pesquisa da Faculdade UnB Gama (FGA). Foto: Mozaniel Silva/Secom UnB


A Faculdade UnB Gama (FGA) abriga um novo espaço para pesquisas em engenharia. O Automotive Research Center (ARC) será oficialmente inaugurado no campus na quinta-feira (31), durante o worshopAutomotive Day, evento em que serão apresentadas contribuições científicas da Universidade em parceria com a indústria automotiva. A expectativa é que o ARC seja um laboratório de ponta na produção científica por docentes e estudantes, além de atender às crescentes demandas por atividades na área.

O espaço foi criado como resultado do projeto de pesquisa ESC-SIM, desenvolvido pela FGA em parceria com as multinacionais Stellantis, Pirelli, Multittech e Continental. A iniciativa elabora soluções para demandas do segmento relacionadas ao desenvolvimento e aperfeiçoamento da função de controle eletrônico de estabilidade – tecnologia de segurança que ajuda o motorista a manter o veículo na trajetória.

ALÉM DA META – Entre as ações previstas pelo projeto, estava a montagem de uma arquitetura para testes e validação desses sistemas. As pesquisas desenvolvidas ultrapassaram esta expectativa e resultaram no desenvolvimento de um simulador automotivo para avaliação virtual da dinâmica de um carro, pneus ou testes de vários outros sistemas de controle inteligente. Esta tecnologia passou a integrar o ARC.

“O laboratório foi todo pensado para executar suas atividades em total sinergia com a indústria automotiva e, com isso, conseguimos preparar nossos alunos para atender demandas bastante atuais do setor”, pontua o professor da FGA e atual coordenador do ESC-SIM, André Murilo.

Outro objetivo do espaço é oferecer aos discentes a vivência, em um ambiente controlado e pedagógico, de situações reais do setor automotivo. “Os estudantes terão a oportunidade de colaborar em projetos de pesquisa que buscam soluções para desafios complexos enfrentados pela indústria, resultando em experiência prática que contribui para a formação de engenheiros automotivos altamente capacitados”, afirma o coordenador do curso de Engenharia Automotiva, Edson Cueva.

Para estruturar o ARC, houve, ainda, fomento de empresas automobilísticas e do Programa Rota 2030, iniciativa do governo federal para estimular investimentos no setor. A UnB participa com projeto na linha V do programa, coordenada pela Fundação de Apoio da Universidade Federal de Minas Gerais (Fundep/UFMG).

Um simulador automotivo está disponível no laboratório para experimentos em controle eletrônico de estabilidade. Foto: Mozaniel Silva/Secom UnB


POTENCIAL – Além de testes de controle de estabilidade, será possível fazer experimentos com freio ABS, controle de cruzeiro e de tração no laboratório. Em breve, o ARC também será uma plataforma de testes para ferramentas de condução assistida (ADAS), presentes nos carros atuais para auxiliar no movimento do volante e oferecer maior conforto para o motorista na direção.

Somadas às pesquisas, ações de ensino e extensão deverão contribuir na formação de excelência dos estudantes. “Já temos disciplinas do curso de Engenharia Automotiva (Sistemas de Controle Automotivo; Sensores e TransdutoresEletrônica Veicular; Software Automotivo) que têm parte do conteúdo ministrado neste espaço”, comenta André Murilo sobre o Automotive Research Center, que iniciou seu funcionamento no primeiro semestre de 2023.

O docente também projeta: “Pretendemos abrir o laboratório para que comunidade possa ter a oportunidade de conhecer as ferramentas tecnológicas e, por que não, levá-lo para apresentações fora da UnB, em escolas, feiras e exposições”.

PESQUISAS EM FOCO – O workshop Automotive Day tem início às 8h30 e segue com programação até o período da tarde. Os resultados alcançados pelo ESC-SIM e pelo Rota 2030 estarão em debate durante o evento, que também contará com mesas-redondas sobre a utilização de simuladores automotivos no processo de inovação tecnológica do segmento e sobre os desafios da área de segurança veicular.

Representantes da Stellantis, Pirelli, Multittech, Continental, Vector e Anacom estarão presentes. A atividade, gratuita, é voltada à comunidade da UnB e a interessados em tecnologia e inovação e antecede a comemoração pelos 15 anos da FGA, programada para 1º de setembro.

 

>> FGA celebra 15 anos em 15 horas de programação em 1º de setembro 

 

AUTOMOTIVA EM NÚMEROS – Além do ARC, o curso de Engenharia Automotiva dispõe de outros 11 laboratórios de pesquisa especializados na área: o de Ensaio de Motores (LEM); de Tribologia; de Crashworthiness Ensaios Mecânicos Automotivos (Lacem); de Acústica e Vibrações Veiculares (LabNVH); de Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos (SHP); de Sistemas e Controle (Sisco); do Grupo de Modelagem e Simulação de Sistemas Automotivos (GMSSA); de Desempenho Automotivo; de Tecnologia da Biomassa; do Grupo de Mecânica Computacional (Gmec); e de Sistemas Automotivos.

Mais nove estruturas de ciência são compartilhadas com outras graduações da FGA e oferecem equipamentos para experimentos científicos e didáticos.

Faculdade UnB Gama formou 94 engenheiros automotivos em quase dez anos. Foto: Beto Monteiro/Secom UnB


Todos estes espaços contribuem para que os discentes adquiram uma base científica na área e desenvolvam habilidades que os permitam atuar na indústria automotiva a partir de uma visão mais ampla, que envolve desde a concepção dos produtos e componentes até o pós-vendas e descarte.

Isto se reflete na absorção dos graduados no mercado de trabalho. Entre 2013 e 2022, a FGA formou 94 engenheiros automotivos, o que corresponde a 10,6% de todos os diplomados nos cinco cursos de engenharia oferecidos no campus. A maior parte tem atuado em segmentos como da administração pública, defesa, seguridade social, indústria de transformação, comércio e reparo de veículos.

Esta capilarização nos diversos ramos profissionais demonstra, segundo Edson Cueva, a interface do curso e de sua estrutura com o mercado.

"Em anos recentes, a necessidade de atualização para satisfazer as demandas do mercado de trabalho, causada pela chegada da Industria 4.0, motivou uma demanda de engenheiros atentos às novas tecnologias como conectividade, propulsão alternativa a combustão, biocombustíveis e outras. O curso de Engenharia Automotiva, atento a estas mudanças, promoveu a criação de laboratórios de ensino e pesquisa para o desenvolvimento destas tecnologias", aponta o docente.

 

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: nome do repórter/Secom UnB ou Secom UnB. Crédito para fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.