MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Em palestra, vice-presidente do Painel Intergovernamental da ONU apresenta relatório sobre mudanças do clima. O evento reuniu diplomatas e embaixadores de diferentes países nesta segunda (24) no auditório do IRel

Foto: Júlia Seabra/UnB Agência

 

Professores, estudantes e representantes diplomáticos de diferentes países estiveram na manhã desta segunda-feira (24) no auditório do Instituto de Relações Internacionais da UnB (IRel) para a palestra The challenges and opportunities of climate change: an overview based on the IPCC fifth assessment report com Jean-Pascal van Ypersele, vice-presidente do Painel Climático Intergovernamental em Mudanças Climáticas da ONU (IPCC, na sigla em inglês).

 

“A questão climática tem sido destaque na agenda internacional e continuará central nos próximos anos”, disse Eiiti Sato, diretor da Assessoria de Assuntos Internacionais da UnB, ao abrir a palestra. “2015 será um ano decisivo nas negociações mundiais sobre o tema”, completou o embaixador da Bélgica, Jozef Smets, em referência à Conferência do Clima ano que vem em Paris, a COP 21.

 

Antes de apresentar o relatório sobre o clima, Jean-Pascal van Ypersele, que também é professor de climatologia e ciências ambientais na Universidade Católica de Louvain, na Bélgica, falou sobre a criação e a função do IPCC, como corpo científico e intergovernamental no âmbito da ONU. Ele também ofereceu um panorama geral das últimas descobertas e recomendações do organismo.

Jean-Pascal van Ypersele. Foto: Júlia Seabra/UnB Agência

 

“Não há mais dúvida sobre a influência exercida pelo ser humano sobre o clima”, afirma o cientista. “Por causa da ação humana, tem havido um aumento na emissão de gases-estufa, principalmente CO2.”

 

O relatório aponta, por exemplo, que, desde a década de 50, são mais comuns os dias extremamente quentes e as chuvas pesadas. A boa notícia, segundo ele, é que ainda dá tempo de limitar danos. “The window for action is rapidly closing”, disse. “The choices we make will create different outcomes.” Entre as recomendações, Ypersele cita investimento em energia renovável e mudanças no estilo de vida.

 

Para o professor de Relações Internacionais da UnB Eduardo Viola, o 5º relatório traz "grande quantidade de conhecimento científico". "O desafio é reduzir a distância entre ciência e política", diz. Viola faz uma breve análise de cenários em diversos países, como EUA e China, e prevê o caminho da “descarbonização" necessária, gradual e lenta da economia. “Esta deve ser a posição da maioria dos países no âmbito interno, mas, no externo, ela deve se manter conservadora", diz ele em relação ao que pode ser decidido na COP 21 em 2015.

 

O evento foi organizado pelo IRel em parceria com a embaixada da Bélgica.

 

PAINEL CLIMÁTICO – O IPCC foi criado há mais de vinte anos na ONU com o propósito de reunir informação "de qualidade" sobre mudanças climáticas. “Os relatórios mobilizam especialistas e governos do mundo inteiro, ajudando-os a chegar a consensos”, diz Ypersele.

 

Cliqueaqui para saber mais.

ATENÇÃO O conteúdo dos artigos é de responsabilidade do autor e expressa sua visão sobre assuntos atuais. Os textos podem ser reproduzidos em qualquer tipo de mídia desde que sejam citados os créditos do autor. Edições ou alterações só podem ser feitas com autorização do autor.